A última reflexão antes do voto

Fernando Henrique Cardoso e Luís Inácio Lula da Silva foram os maiores Presidentes que este país já teve. De longe. Não vou perder meu tempo falando dos inúmeros escândalos de corrupção que abalaram os dois governos pois para isso existem muitas outras fontes. Ao invés disso vou me concentrar nos erros e acertos de cada um.

FHC nos deu o Plano Real (oposto num primeito momento pelo PT) e a tão sonhada estabilidade econômica. Começou alguns programas incipientes de transferência de renda para quem não tinha nada. Implantou um excelente programa de medicamentos genéricos, capitaniado por seu Ministro da Saúde, José Serra, garantindo à população mais pobre acesso a remédios vitais que de outra forma seriam muito caros. Salvou o sistema bancário de um colapso com uma medida impopular, mas, na época, importante: o PROER. Infelizmente construiu tudo isso através de uma severa política de juros que enforcou o país num primeiro momento, deixando-nos muito suscetíveis às crises externas, pois muito do dinheiro que entrava aqui era capital meramente especulativo. Sufocou o Ensino Superior e tropeçou no processo de privatização das teles. O maior engodo da década de 90 foi dizer que os telefones ficariam mais baratos por causa da livre concorrência. Besteira. Os telefones iam ficar mais baratos de qualquer jeito, porque a tecnologia avançou aos saltos e a concorrência — como qualquer um que passa meses tentando cancelar uma linha ou reaver uma cobrança errada pode ver — se provou ser mais um cartel de empresas estrangeiras do que um capitalismo de mercado real.

Lula teve o grande mérito de consolidar as políticas econômicas de seu antecessor. Soube aproveitar a boa onda econômica no mundo e blindou o país durante a pior crise desde 1929. Ampliou enormemente os programas sociais de FHC. Digam o que quiserem seus opositores, programas como o Bolsa Família ajudaram milhões de pessoas a alcançar um nível de dignidade mínima. E acho profundamente equivocado dizer que quem ganha o BF “não quer mais trabalhar”. Isso é um argumento típico de quem teve oportunidade e dinheiro a vida inteira e ao mesmo se ofende quando a empregada doméstica — esse resquício do século XVIII na sociedade brasileira — pede carteira assinada, férias e 13o. Mas eu me adianto: acima e além do BF, Lula expandiu o acesso à Universidade, construindo muitas outras Federais pelo país afora, principalmente em regiões previamente esquecidas como Norte e Nordeste. De fato, foi talvez o primeiro Presidente a olhar para o NE com um pensamento desenvolvimentista. E também infelizmente, ficou muito aquém do que poderia ter alcançado Aumentou tremendamente a dívida pública. Não garantiu o aumento suficiente do número de bolsas de pesquisa para todos os Doutores novos que deu condições de formar. Saúde, Segurança Pública e Educação Fundamental continuaram em níveis insatisfatórios. Inchou a máquina pública com critérios menos do que técnicos. Teve um mérito final dúbio de conter a sanha censora de seu partido sobre a imprensa livre.

Agora em 2010 somos chamados a decidir sobre quem virá a seguir. Como eu espero ter ilustrado, os dois foram muito mais parecidos do que diferentes, e seus respectivos atos de governo parecem ter sido oriundos de um mesmo programa. A única diferença é que FHC parece não ter se esforçado muito para reduzir o nível de miséria no país. Diante disso, votar em Dilma Roussef do PT ou em José Serra do PSDB não parece fazer muita diferença.

Porém a candidatura de José Serra rendeu-se a um tal retrocesso, a uma tal aliança com forças conservadoras; confundiu de forma tamanha políticas de estado com mero cálculo eleitoreiro, agrediu o princípio de laicidade muito mais do que a candidata professadamente Evangélica do 1o Turno; mentiu e distorceu e ainda fez setores da mídia fazerem o mesmo ao apoiá-lo. E tudo isso para quê? Para voltar ao poder? Onde estão as propostas? Onde esteve a oposição nos últimos 8 anos? Estava acanhada. Apequenou-se. Tornou-se mesquinha, ávida de retornar ao Planalto… para quê, mesmo?

Confesso que estava disposto a votar no PSDB no começo do ano, senão por mais nada por uma questão de alternância de poder. Mas o retrocesso de Serra foi tamanho que votarei — a contragosto — em Dilma Roussef. A corrupção e as falhas dos dois partidos se equivaleram ao longo do tempo, mas a campanha de Serra provou que o PSDB retrocedeu aos piores anos de nosso país. E não pense você, eleitor do 45, que votar em Serra não significará validar exatamente esse comportamento.

Amanhã votarei no PT numa última tentativa de salvar o PSDB de si mesmo. Espero que eles entendam o recado das urnas.

Tags:

10 Respostas to “A última reflexão antes do voto”

  1. Carlos Orsi Says:

    Meu único reparo está na questão das teles: a privatização foi sim, a eu ver, fundamental para baratear e universalizar o acesso ao serviço: telefone já era barato e abundante no mundo civilizado décadas antes da revolução tecnológica celular.

    O erro me parece estar em atribuir o ganho advindo da privatização fundamentalmente à concorrência. Ela é importante — por mais oligolopizado que o setor esteja, o fato de haver um oligopólio, e não mais um monopólio, prende as companhias numa espécie de dilema do prisioneiro, onde quem piscar primeiro corre o risco de perder muito, não importa qual a combinação feita.

    Mas o ganho principal não foi esse: foi o de tirar o setor da mão do Estado. Basicamente, porque o Estado não tinha nem a capacidade de investimento, nem o dinamismo necessário para fazer o setor avançar. E uma coisa é você ter uma empresa presidida por, vá lá, um pirata amoral que quer ficar rico vendendo telefone e outra, por um burocrata que deve o emprego ao fato de estar comendo a filha feia do deputado.

    Ambos os casos são lamentáveis, mas só o primeiro leva a ganhos — ainda que limitados — para o consumidor.

    • Daniel Says:

      Não sou contra as privatizações das Teles — aliás, achei ótimo quando elas foram anunciadas. Qualquer um que tenha passado pelas mãos da Telerj concorda que foi uma ótima ideia.

      O caso é que as privatizações foram vendidas como uma Panaceia Universal, o que simplesmente não aconteceu. O mercado ficou superaquecido porque todo mundo queria telefone barato e ninguém mais agüentava passar meses (ou anos) na fila para comprar telefone! Lembro do meu pai contando que um dos melhores presentes de casamento que ele ganhou foi uma linha…

      Quanto à comparação entre o pirata e a filha do deputado, bem… a filha do deputado está dando para outro cara em outro lugar e o pirata se sentou em cima do butim e não quer levantar de jeito nenhum. E ao menos no segundo caso apenas uma aplicação verdadeira concorrência em vez desse capitalismo farsesco que temos no Brasil pode salvar a situação.

  2. Luiz Felipe Vasques Says:

    “Amanhã votarei no PT numa última tentativa de salvar o PSDB de si mesmo. Espero que eles entendam o recado das urnas.”

    Qual recado? Respect the Carnea? :-P

    Qual a pobre virgem dopada pelos vapores e lambida por velhos decrépitos, que balbucia o incompreensível e é interpretada ao gosto da conveniência; não acho que haja mais, se um dia houve, a maturidade para se entender esse tipo de coisa, em termos de política partidária. Se o PSDB perde, será um dar de ombros, alguma troca de acusações internas como qdo qquer projeto falha, e contabilizar o prejuízo, e se preparar para novas alianças, conforme a marcha da valsa – se Maluf subiu no palco da Marta, tudo pode acontecer. Se o PT perder, como se tivesse moral, seus partidários chiariam sobre as manipulações “deles”, “dos poderosos”, “do capital internacional” e outras retóricas velhas e semelhantes. Ou talvez houvesse quem acusasse que este foi o preço – não obstante dois mandatos consecutivos – de se ter deitado com o inimigo, e do PT sido feito “apenas mais outro partido”… cada qual com sua Carnea, enfim.

    • Daniel Says:

      Como eu disse, Felipe, não é que o PT esteja acima da crítica. Há MUITAS que fazer, e eles merecem cada uma delas.

      Ocorre que eu decidi que o PSDB, que precisa responder a cada uma das mesmas críticas que o PT, conseguiu se rebaixar muito mais. Conta lá: terrorismo com a campanha adversária, dizendo inclusive que vai haver uma guerra civil se Dilma vencer; total violação ao princípio da Laicidade do Estado, se dobrando ao Vaticano, às igrejas evangélicas e até ao Centro Espírita Bezerra de Menezes; a equivocada posição sobre o aborto; as inúmeras mentiras em sua propaganda; a farsa burlesca da bolinha de papel (que poderia lhe valer a eleição se fizesse tudo direitinho); o discurso retrógrado e a aliança com o que o Brasil tem de mais podre; e o papel ridículo que a Veja, a Folha de SP e O Globo fizeram. O Estadão teve a decência de declarar seu apoio a Serra abertamente, uma posição que respeito.

      O PT tem inúmeras questões de ética, as quais não podem e não devem simlpesmente serem varridas para baixo do tapete e muito menos relativizadas. Mas o PSDB se apequenou tanto nessas eleições que, francamente, se não quiserem aprender e se estabelecer como uma oposição decente, melhor que desapareçam na irrelevância.

      Por tudo isso e nada mais, voto em Dilma. E que o futuro me perdoe.

  3. Anônimo Says:

    Se hay TFP, you soy contra. Temos de ver que as alianças do PSDB estão muito complicadas, e o ás na manga deles no primeiro turno foi a questão do aborto. Ter o PSDB realmente não é uma boa opção para um estado laico.

    Não que eu não tenha outros problemas com o PSDB. O endividamento do estado brasileiro, interno e externo, aliás, foi o presente que o governo FHC deixou na saída, e não ação única do governo Lula.

  4. Paulo Bruno Contopoulos Says:

    Esse último comentário foi meu, aliás.

  5. Luiz Felipe Vasques Says:

    Não é diferente das mentiras da época da eleição do Collor, para quem se lembra.

    Num terreno mais paranóico, curioso que não tenha tido arrastão na praia… claro, outro governador.

    Mas o Paulo Bruno tem razão numa coisa. Entrou a TFP na jogada, o nível baixa a profundidades abissais.

    • Daniel Says:

      Até o episódio da bolinha eu estava firmemente decidido a votar nulo, porque o PT não representa meus anseios e o PSDB não mostrou opções. Mas daquele dia em diante ficou tudo tão mais escroto, com o perdão da palavra, que Serra conseguiu a proeza de ficar mais sujo do que o PT.

      Então tá :-P

  6. Luiz Felipe Vasques Says:

    Heh. Foi com a bolinha que meu voto foi pra escanteio…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: