Sempre o moto contínuo

Só há três coisas certas nessa vida: a morte, os impostos e gente inventando máquinas de moto contínuo. Desde que o mundo é mundo há tentativas nesse sentido. A primeira que se tem notícia é do Báscara – aquele da equação de 2º grau – que imaginou uma roda capaz de girar eternamente… que não funcionou. Gente do calibre de Leonardo daVinci e Jean Bernoulli também propuseram mecanismos diferentes sem sucesso.

Em 2006 uma pequena empresa irlandesa chamada Steorn publicou um anúncio bombástico na revista Economist, no qual declarava ter inventado uma máquina de moto contínuo. Depois disse ainda que “oito engenheiros e cientistas com vários PhDs de universidades de prestígio” tinham verificado o funcionamento do aparelho – sem citar nomes, é claro. Já estão sentindo o cheiro de fraude? Pois é.

Depois de dois anos de vai e vem e demonstrações públicas adiadas, o painel de doze jurados independentes (escolhidos pela Steorn) para avaliar a tal máquina declarou hoje que ela não funcionava como anunciado. Que surpresa…

O divertido é ler na página da Steorn a “explicação” de como a máquina (batizada de Orbo) funciona. Em vez de uma explicação, nos é oferecida uma confusa prestidigitação retórica com uma pitada de jargão científico para tapear os não-iniciados.

Mas afinal, por que é impossível construir uma máquina de moto contínuo? Bom, por causa de uma chatice chamada Lei da Conservação da Energia. Em termos leigos, não existe almoço grátis: toda energia útil de um motor tem que vir de alguma fonte, seja ela interna ou externa. E em sistemas fechados a quantidade total de energia sempre é conservada.

Em termos não tão leigos, todas as leis de conservação são conseqüência do Teorema de Nöether, que diz que toda simetria de uma lei física qualquer implica numa quantidade conservada. A conservação de energia vem do fato que as leis físicas são simétricas no tempo – o que significa, entre outras coisas, que até onde podemos verificar, elas sempre tiveram a mesma cara. E mesmo quando encontramos um potencial dependente do tempo, como uma sistema com atrito, por exemplo, a energia que “desaparece” pode ser contabilizada adotando um sistema fechado apropriado.

Ainda assim, algumas pessoas insistem. Não poderia haver uma lei ainda por descobrir, “porque afinal ainda não sabemos TUDO” (Deus, como odeio esse argumento…), que nos possibilitaria contornar essas dificuldades? Honestamente, não. Não que seja absolutamente impossível que se descubra alguma coisa que jogue as leis de conservação por terra, mas é altamente improvável. Todas elas são muito bem amarradinhas e dependem não apenas de resultados empíricos, mas de princípios físicos e matemáticos muito bem fundamentados. Mudar a maneira como elas funcionam seria ordens de grandeza mais dramático do que a mudança de paradigma causada pela Teoria da Relatividade e pela Mecânica Quântica.

Mas isso não impede sonhadores ingênuos e o ocasional patife de tentarem.

Tags: , ,

17 Respostas to “Sempre o moto contínuo”

  1. Renata Augusta Says:

    Gostei da explicação pros leigos de que “não existe almoço grátis”… bjs

  2. Daniel Says:

    Estou planejando escrever uma entrada mais arrumada sobre a grande cientista Emmy Nöether, na qual esmiuçarei melhor as leis da conservação. Aguarde :-)

  3. Leo Says:

    Desde que estudei engenharia, onde aprendi um pouquinho de física, acho engraçado esta busca pela “Quebra das leis da física” que alguns lunáticos realizam.

    Sempre que eu penso em alguma “quebra” eu me lembro das tais “singularidades” que aprendi em cálculo. Na minha opinião é ali que deveria ser realizada a busca pela tal quebra, ou não, pois ao mesmo tempo a minha mente grita incessantemente que, ao trabalhar na região de uma singularidade, as energias envolvidas “tendem ao infinito”. Ou seja, posso criar algo que pode acabar com o Universo! Ou apenas precisar de tanta energia para começar a reação que seja impossível realizar o experimento de fora de uma estrela muitas vezes maior que o sol.

    Mas sempre vão existir os “dotô” que querem passar a vida financiados por investidores interessados de ver suas fortunas explodirem ao explorar a próxima panacéia universal.

  4. Daniel Says:

    O problema das singularidades é bem interessante e nem um pouco trivial. Suspeito (sem poder afirmar categoricamente, porque ainda não tenho gabarito para isso) que efeitos quânticos evitam ou equilibram um singularidade “de verdade”. Não sei dizer como os Buracos Negros se encaixam nisso, pois esse assunto requer um estudo que ainda não tenho :-)

    Quanto aos espertalhões, malucos e otários, esses são os mesmos desde sempre… e não acho que vai mudar tão cedo!

  5. Um salôio Says:

    Haverá quem já tenha tentado explorar a gravitaviçâo por VARIAÇÕES DE CENTROS DE GRAVIDADE ?

  6. Daniel Says:

    Eu não sei se entendi o que você quis dizer. Pode ser um pouco mais claro?

    Variar o centro de gravidade de um corpo implica em mudar a distribuição de massa deste. Um patinador ou skatista podem fazer isso simplesmente mudando de posição (embora nestes casos a posição do CG não se altere tanto). Seja como for, para mudar a distribuição de massa de um corpo é preciso gastar energia, o que já sabemos que não dá em moto-contínuo.

  7. ROMAM Says:

    Tanto a transformação de chumbo em ouro almejada pelos alquimistas como a criação de um moto contínuo, jamais se realizaração sem a pedra de toque. Desde criança eu medito sobre essa engenhoca e mesmo antes de ter maiores conhecimentos de física, percebi que a reposição da energia para a continuação do movimento é idêntica à energia gasta o que leva a fatal equilíbrio em qualquer engenhoca que se tente fabricar. Mas, paradoxalmente, nos estamos vivendo em um moto contínuo que é o proprio universo. A força de atração fazem os planetas girarem em torno do sol e este na própria galáxia que por sua vez também se move no espaço infinito, eternamente. Então, curvem-se pois não existe outra explicação, que a única coisa que pode produzir energia do nada é o Criador, pouco importando a crença de cada um. Alguma coisa criou toda a energia do universo em um determinado momento anterior ao próprio big bang e toda a energia produzida está até hoje intácta, embora transformada em incontáveis elementos, inclusive nosso próprio corpo. Em conclusão, esse equilíbrio do universo é insuperável pois se alguém conseguir romper essa lei da física, criando energia do nada, o equilíbrio estará quebrado podendo instalar-se o próprio caos. Contentem-se, portanto, em admirar as coisas que se movem infinitamente, como os elétrons em torno dos átomos, a luz em sua jornada interminável, o universo em movimento e a própria vida em renovação pois perceberão que é sempre a mesma porção de energia agindo em cada momento, sem jamais poder ser eliminada ou acrescentada. Hoje, eu não perco mais o meu tempo tentando decifrar esse enígma pois a pedra de toque da qual falei está muito além de meu poder de alcance, inclusive intelectual.

    • Francis David Says:

      ROMAM Disse: “…os estamos vivendo em um moto contínuo que é o proprio universo…”

      Nao, o universo nao eh um moto perpetuo, enche ele de oxigenio e vamos ficar moreninhos moreninhos.

      Nem precisa alterar a composicao do universo, veja nosso satelite, a Lua, esta se afastando, outros astros vao se aproximando, no espaco tudo funciona pela energia do Big Bang, se perde pouco no processo por causa da falta (pouquissimo) de atrito.

  8. Ivan Soares Says:

    Paras os desacreditados vai ai um quebra de ilusão: Meu sogro na cidades de Arapiraca Alagoas está quase terminando a inveção de todos os tempos, a máquina Moto contínuo, que duvidar dessa inveção, q se manifeste agora. tenho fotos.

  9. Daniel Says:

    Ivan,

    Lá se vão quatro meses, mas sim, por favor, poste as fotos! E de preferência um esquema de como a máquina funciona. Como seu sogro resolveu o problema do atrito?

    Roman,

    Você sabe que isso não faz sentido algum, não é? :-)

  10. Luiz Vilarins Says:

    Nas minhas pesquisa em busca da força livre (que não tem haver com mp gravitacional ou mp por flutuação ) descobri acidentamente um efeito fisico desconhecido o qual coloquei o nome de efeito SILVA porque esta palavra tem origem na palavra SILVER que em latim é sinonimo de SILVESTRE ou NATURE ou NATURAL .E com este nome estarei agraciano muitos brasileiros .
    Quero lembra que existem muitas pessoas em busca da fonte da juventude.
    Não cabe a niguém dizer a elas que é uma besteira.
    Pois as grandes descoberta não estão nos objetivos,
    estão no caminho

    vamos ter um pouco mais de tolerancia

    Caso vc seja uma pessoa seria e tenha em maos um motorcontinuo Com certeza vc esta com um grande problema.

    Que assim seja

  11. Daniel Says:

    Luiz, então diga-me lá: o que é isso de “força livre”? Que efeito físico desconhecido é esse? Mostre equações que descrevam-no. Demonstre-o nos laboratórios. Publique seu achado nas revistas científicas. Deixe que o processo de revisão por pares aprecie suas ideias.

    É assim que funciona.

  12. Luiz vilarins Says:

    Daniel esprero que você goste deste artigo que escrevi para um jonal

    Dia 23 de julho foi aniversário de nascimento e morte de Alberto Santos Dumont ele praticou suicídio em 1932. Vários especialistas, já deram sua opinião a respeito de Alberto Santos Dumont, falaram sobre sua vida social, seus inventos, sua relação com a política brasileira, da sua saúde mental e até de sua vida sexual. Mas nunca falaram de como sua mente produzia seus inventos, porém eu acredito que estou em condições de fazer isto, por ser um inventor.
    As invenções chegam à cabeça dos inventores de forma curiosa, os poetas, músicos, pintores, artistas plásticos, compositores usam as emoções, muitas vezes fazem trabalhos usando a dor que sentem.
    Já Albert Einstein falava muito da intuição e imaginação na criação de suas teorias, ele deixava claro em seus escritos que a intuição não tem uma explicação cientifica, mas é responsável na produção e resolução de seus problemas teóricos e isso não é algo que possa ser controlado.
    Para se ter uma idéia o inventor da máquina de costura tinha um problema, ele não sabia como levaria a linha para ser laçada pela bobina, fez vários ensaios que não deram certo, a solução veio durante a noite, quando ele teve um pesadelo em que era atacado por canibais e eles usavam flechas que tinham um furo na ponta, foi lembrando deste pesadelo que ele teve a idéia da agulha com um furo no meio para levar a linha para dar o laço na bobina e fazer o ponto a ponto criando a costura.
    Já o brasileiro que inventou a panela cocker, sofria de insônia e era muito comum como um ritual levantar-se para fazer chá, ele colocava água na chaleira e ficava observando a água ferver, numa destas noites intermináveis ele ficou observando o vapor que saia pelo bico da chaleira e concluiu que o vapor poderia ser usado para cozinhar alimentos, e a partir daí por comparação inventou a panela cocker que cozinha os alimentos usando vapor.
    Henry Ford o fundador da fábrica de automóveis Ford em uma visita aos abatedouros de gado na cidade de Chicago, na época o maior centro de manejo e distribuição de carne dos Estados Unidos da América ficou fascinado com a habilidade e a forma que os açougueiros trabalhavam; logo após o animal ser abatido, era sangrado, retirado à cabeça e pendurado pelas as patas traseiras em um trilho, um açougueiro fazia o corte de abertura no couro, o próximo tirava o couro, outro abria a carcaça, mais um retirava as vísceras e a partir daí, com a carcaça limpa, começa o desmonte e cada açougueiro fazia um corte, com a preocupação se o açougueiro era destro ou canhoto. Depois desta visita Henry Ford percebeu que era possível fazer a mesma coisa com os seus carros, então ele fez uma associação, inventando a linha de montagem na industria automobilística.
    Al-jazari era altamente inventivo, dominava profundamente a mecânica e hidráulica viveu no século XI, segundo os historiadores era de origem iraniana, escreveu o tratado da teoria e prática das artes mecânicas em que estão documentados 50 inventos de sua autoria, o grande gênio do oriente desenvolveu técnicas e inventos que nos levaria a idade moderna, a bomba hidráulica a cilindro, manivela, roda de água, elevadores de água, relógio à vela, relógio à água, válvula de controle de líquidos, virabrequim, engrenagem, polia, vários instrumentos cirúrgicos, robô e por conta disto é considerado pai da robótica.
    Alberto Santos Dumont usava a associação para produzir seus inventos, que acompanhava uma evolução: inicia com um balão de nome Brasil, Santos Dumont foi convidado por um amigo para assistir uma corrida de barco ele associou o barco ao balão, adaptou um motor de barco com uma hélice em um balão de gás aerodinâmico, sendo o primeiro balão a propulsão própria. Fez vários testes com balões, aperfeiçoando o sistema de propulsão. E em 19 de outubro de 1901 com o dirigível o número 6, partiu de Saint Cloud, contornou a torre Eiffel e retornou ao ponto de partida em 30minutos e 29 segundos ganhado o Prêmio Deutsch. A convite, em abril de 1902, Santos Dumont viajou para os Estados Unidos onde visitou os laboratórios de Thomas Edison que era seu amigo, foi recebido pelo presidente Theodore Roosevelt. Pretendia fazer alguns voos, mas teve seus balões sabotados no porto, fizeram cortes e furos, impossibilitando-o de usá-los.Os planadores são conhecidos desde a Idade Média. Em 865, na Espanha, Abbas Ibn Firnas saltou de uma encosta com um planador de mão.
    Em 1874, Félix du Temple de la Croix deu um voo com um planador motorizado.
    Em 1884, Aleksandr Fydorovich Mojaiski voou com um modelo à vapor.
    Em 1890, Clément Ader voou na França.
    Em 1903, os Irmãos Wright alegam ter voado, sendo lançado ao ar por uma catapulta.
    Todas essas experiências, além dos trabalhos teóricos da física e da aerodinâmica do vôo, eram conhecido por todos e muitas vezes compartilhadas.
    Santos Dumont projetou e desenhou um planador de célula de agrave formato de diedro e associou ao dirigível número 14 o qual adaptou a propulsão do dirigível ao planador, fez vários testes, construiu um simulador de voo rudimentar até atingir empuxo desejado que decolasse o aparelho do solo usando os próprios meios com um motor a petróleo de 50hp Em 23 de outubro de 1906, no Campo de Bagatelle, o 14-Bis voou por uma distância de 60 metros, a três metros de altura, o primeiro a levantar voo e aterrisar controladamente como é feito até hoje. Este foi o grande feito de Santos Dumont; o 14bis tem 80 metros quadrado de área para sustentação 260 kilos é a única maquina aérea que decola do solo a 35 k/h usando seus próprios meios, com um motor de 50 hp, 102 anos depois deste feito, usando a tecnologia de ponta existente hoje, é impossível projetar uma aeronave com o mesmo peso, a mesma potência e a mesma área de sustentação usando outra configuração.
    Terminou suas construções com o mais versátil e prático aparelho aéreo, o popular “Demoiselle”, considerado o modelo padrão para quase todos os aviões construídos até hoje.
    Os projetos de Santos Dumont são usados até hoje, e conhecidos com o nome de Ultraleve.

    Assinado Luiz Vilarins

    • Daniel Says:

      Tenho uma ou outra crítica, mas de maneira geral é um bom artigo. E o seu ponto é?

      Santos-Dumont, diga-se passagem, sempre primou pelo rigor científico em suas experiências e fez questão de documentar muito bem seus testes aéreos. Suas invenções são famosas porque acima de tudo *funcionam*.

      Ainda estou para ver algo remotamente parecido no campo do Moto Contínuo.

    • Edson Says:

      VERÁ!!! em breve…

    • Daniel Says:

      OK! Estamos todos esperando há uns dez mil anos! Me avise quando aparecer!

  13. ENIO Says:

    O Luis citou Einstein , como homem que falava muito de Intuição na criação de suas teorias. O texto leva a crer que Einstein tirou sua teoria da relatividade unicamente de sua intuição , como num passe de magica, o que deixa de fora os motivos pelo qual ele a criou.
    Na verdade foi o resultado de uma observação feita por Michelson , http://en.wikipedia.org/wiki/Michelson_interferometer que ao medir a velocidade da luz de uma estrela distante , no verão e no Inverno , onde a Terra estaria em pontos opostos da orbita solar e portanto teria a sua velocidade de translação somada ou subtraida da velocidade da luz em relação ao “ether”. Com estes dados esperava- se calcular a velocidade da luz em relação ao ether.
    Pois bem o resultado deu a mesma velocidade no inverno e no verão ! um absurdo , pois a velocidade da Terra na orbita solar era bem conhecida pelos astronomos 29.783 km/s e é em torno de 0,1 % da velocidade da luz , o valor da velocidade da luz não poderia ser o mesmo nas duas observações efetuadas deveria ter uma diferença de no minimo 0,2 %.
    O que Einsten fez , juntamente com seu colega foi afirmar que se a realidade não bate com a teoria , a REALIDADE deve estar CORRETA e não a teoria , por mais absurda que possa parecer a realidade , com isso afirmou que a velocidade da luz devia ser constante para todos os observadores , independente de sua velocidade, o que chocou a comunidade cientifica na epoca. O resto da historia todo mundo conhece , e resultou nas teorias da relatividade.
    O importante aqui é frizar que Einstein não tirou sua teoria da Intuição , mas de uma observação experimental que não batia com a teoria.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: